Amor / Afeto

Clélia Oliveira

O que é o amor?
Para algumas pessoas o amor é um beijo demorado onde você se desprende do chão e te faz levitar até um lugar indescritível…. É sentir “eternamente” as borboletas no estômago… É o eterno namoro adolescente onde o arder em paixão é a causa principal…
Para outros amor, é lhe dar aquilo que “lhe acha” devido. Você precisa de uma casa, alimento, roupas, precisa de dinheiro. Nada irá lhe faltar. Mas, não me cobre afeto, carinho, atenção e uma boa conversa sobre tudo e sem julgamentos.
O que você quer do “amor”?
E cuidado com o que pedes, pois lhe será dado!
Saiba querer e acima de tudo saiba o que quer do “amor”.
Para mim por exemplo, amor é encontrar sua essência gêmea, onde duas pessoas olham na mesma direção em quase todos sentidos, principalmente aqueles que diz respeito à vida como um todo.
É o AFETO.
Afeto, uma palavra um pouco esquecida por ter um sentido tão verdadeiro, onde muitos não sabem bem como usá-la. Porque muitos dizem amar mas poucos sabem dar e receber afeto.

Afeto é aquele carinho na troca de olhares, é aquele abraço demorado e silencioso onde nos sentimos em casa, é aquela conversa sobre vocês entre duas xícaras de chá a meia noite, é o interesse em se saber o que o outro sente, deseja e ja passou na vida, é aquelas pitadas de romance em meios a situações do cotidiano…

Afeto é um “amor” mais verdadeiro e puro, onde você parece encontrar sua essência no outro.
E não é que esteja difícil de encontrar hoje em dia, não.

É apenas culpa da nossa ansiedade coletiva, onde parecemos ter pressa pra tudo, achando que não teremos muito tempo, queremos casar logo, ter filhos logo, começar a vida logo. Talvez até por alguma fuga…

Achamos saber o que queremos quando não sabemos nem quem somos de verdade ainda e acabamos por não pedir/desejar direito.
O amor afetuoso começa dentro da gente, ali bem no centro do seu peito.

Quando começamos a acessar ele, ele vai aumentando e transbordando, curando primeiro a ti, a tua carência, a tua própria falta, fazendo você se auto acessar e assim aprender a se amar.
Depois ele continua transbordando e mostrando o caminho pra chegar quem sabe na tua essência gêmea…

E só assim estamos prontos pra receber o amor/afeto.
As vezes demora, as vezes passamos por várias experiências, relacionamentos, até encontrar, e outras vezes simplesmente não encontramos, porque não dá pra se abrir uma porta trancada a força, é preciso achar primeiro a chave, e nesse caso a chave é esse amor próprio que acabei de falar.

Fomos feitos únicos, mas para amar e sermos amados, dar e receber afeto.
Busque primeiro a chave e depois encontre a porta! 😉

Com afeto, Clélia Oliveira.

Namaste

Back To Top